Eu aprendi a amar. Não você, a amar o amor.

Aprendi a conviver com os defeitos. Passei tempo demais procurando a pessoa perfeita, sendo que ela só existia dentro de mim. Idealizei uma pessoa incrível, disposta mentalmente e fisicamente a se adaptar a mim e ao meu estilo. Esqueci que estava desejando secretamente namorar com o melhor de mim.

Aprendi a ponderar. As expectativas já não são mais as mesmas, pois passei a administrá-las e não projetá-las em você. Já te usei como tela branca, para desenhar os meus desejos. Hoje te uso como tela pronta, para me inspirar.

Aprendi a me controlar. Separo a raiva da razão, o desgosto da compreensão e a ansiedade dos motivos. Deixei de viver o futuro e aprendi a apreciar o presente, impedindo que ele se torne um passado frio e amargo.

Aprendi muito. Mas aprendi a me amar antes de buscar qualquer tipo de amor em você.

O amor só existe quando conseguimos encontrá-lo antes dentro de nós.

Leia também...