Me levo para lados incertos, na esperança de me encontrar nas brechas das dúvidas. Corro por caminhos estreitos, para me equilibrar mais fácil no percurso. Duvido de mim e das minhas dúvidas, como se as novas fossem me proporcionar mais saber.

Eu tenho medo de acreditar. Tenho medo de imaginar que vai dar certo, cogitar que serei feliz, encontrar a calmaria. O meu pessimismo é ciumento e só deseja o pior para mim. Ele tem medo de que algo possa me devolver o rumo, sendo que o destino é me perder dentro de mim.

Não sou inseguro, só não sei o que fazer comigo.

Leia também...