Não ouço mais nada. O barulho do ambiente se confunde com o barulho da cabeça. Paro de pensar em uma coisa só e penso em tudo ao mesmo tempo. O peito aperta, como se alguém estive pressionando as duas mãos em algo lá dentro. Os batimentos aceleram. O ar acaba e não há oxigênio que entre pelo nariz e saia pela boca que resolva o problema. Uma agitação incontornável domina o corpo, que não responde, tentando se manter quieto como mecanismo de defesa. E aí, sem motivo, tudo passa.
Estafa.

Leia também...