Você não vai se deparar com essas palavras e nunca vai saber que escrevi isso. Você não vai encostar nessas letras e descobrir que está tudo do avesso, que o nosso amor virou contrário e o contrário de amar agora é você. Não vai imaginar que escrevi isso pensando em como estou cansado de falar dos seus defeitos para os outros de forma irônica, como se eu quisesse me livrar deles e contar para todo mundo é uma forma de fugir dessa maldição. Você nunca vai ler isso e descobrir que a gente já terminou umas dez vezes só hoje dentro da minha cabeça, que não aguenta mais pensar pela sua. Não vai ler essa parte aqui, onde digo que tivemos o melhor primeiro ano que um casal pode ter, mas que agora a cada aniversário de namoro eu sinto que vivo um ano de cachorro. Provavelmente estamos há 35 anos juntos e eu não aguento mais você ladrar. Você não vai ler essa linha do texto e estou dando graças a Deus por isso, já que é aqui onde falo a verdade. É nessa parte que eu digo que sofri em vão cada vez que tentei mudar suas vírgulas. É aqui que digo que as brigas construtivas foram destrutivas, pois acabaram com o restinho de esperança que eu tinha de um dia você mudar. É bem aqui que eu conto que a gente é tão perfeito junto, mas que isso é só na visão dos outros, porque na minha não temos nada a ver e no fundo só estamos aqui pelas aparências. É nessa parte que falo que, do fundo do meu coração eu não queria sofrer e não queria que você sofresse, já que escolhemos o nosso destino. E é aqui que eu termino dizendo que o destino foi infeliz, já que investi tudo o que tinha em você, pois acreditava que seríamos um só para sempre. E já não acredito mais em amor, nem em você, nem neste texto. Ainda bem que você não vai ler.

Leia também...